Diferenças e objetivos entre cirurgia plástica estética e cirurgia plástica reparadora

É comum que as pessoas tenham dúvidas relacionadas ao universo da cirurgia plástica, afinal estamos diante de um assunto muito frequente em nossos tempos e que também se renova com frequência, apontando cirurgias para cada tipo de pessoa e casos específicos.

Entre as principais dúvidas está a diferença entre cirurgia plástica estética e cirurgia plástica reparadora. Você sabe qual é a diferença? A Motiva responde! Confira no nosso artigo de hoje.

Cirurgia plástica estética e seu objetivo

A cirurgia plástica estética está relacionada a melhorar a autoestima das pessoas, e tem como objetivo corrigir uma parte do corpo que faz com que elas não se sintam bem consigo mesmas, prejudicando, muitas vezes, a vida social e afetiva, e levando-as a procurar uma cirurgia que corrija o que causa incômodo.

Conforme informações publicadas pela Veja, o Brasil é um dos países em que as pessoas mais procuram a cirurgia plástica estética, sendo as mais realizadas:

– Mamoplastia de aumento (colocação de próteses de silicone)
– Lipoaspiração
– Blefaroplastia (cirurgia da pálpebra)
– Lipoescultura (lipoaspiração associada a enxertos de gordura)
– Rinoplastia (cirurgia do nariz)

O mercado de cirurgia plástica também agrega outros tipos de procedimentos para corrigir o que causa incomodo para quem gostaria de realizar uma mudança, sendo alguns dos exemplos de cirurgias que tem tido aumento de procura nos últimos anos:

– Lifting de coxas
– Cirurgias íntimas
– Correção de ginecomastia (crescimento anormal das mamas masculinas)
– Abdominoplastia
– Gluteoplastia

Cirurgia plástica reparadora e seu objetivo

Já a cirurgia plástica reparadora é relacionada à reconstrução de estruturas do corpo que tenham algum tipo de anormalidade, seja devido à má formação congênita, doenças como alguns tipos de cânceres, infecções, problemas de crescimento ou acidentes que deixam determinadas partes do corpo desfiguradas. É um tipo de cirurgia que tem como objetivo corrigir estes tipos de problemas.

Tratam-se de problemas que, além de afetar a aparência física, também afetam a vida emocional e social, e por consequência a autoestima. Muitas vezes, esses problemas também prejudicam a função de alguma estrutura do corpo, impedindo o funcionamento normal da vida. A cirurgia plástica reparadora tem o objetivo de devolver a função e aproximar da normalidade essa estrutura prejudicada.

Devido a todos estes fatores, a cirurgia plástica reparadora está inclusa em diversos planos de saúde e, dependendo da gravidade, também pode ser realizada pelo SUS – Sistema Único de Saúde, sobretudo para pessoas de baixa renda.

Várias cirurgias reparadoras tem tido aumento de procura nos últimos anos, tanto pelo maior acesso a serviços de cirurgia plástica no SUS quanto a uma maior procura dos pacientes por procedimentos de cirurgia plástica reparadora, como nos casos de reconstrução das mamas pós-mastectomia por câncer de mama e na correção de excesso de pele de diferentes áreas do corpo após grandes perdas de peso ocasionadas pela cirurgia bariátrica.

Alguns exemplos frequentes de cirurgia plástica reparadora, conforme informações publicadas na Folha de S. Paulo, são:

– Reconstrução mamária
– Cirurgia pós-bariátrica
– Cirurgia para tratamento de câncer de pele
– Correção de cicatrizes
– Cirurgias relacionadas a acidentes domésticos e urbanos

Nosso artigo foi interessante para você? Então, siga a Motiva nas redes sociais!

Fontes: Dr. Marcus Hubaide/ Folha de S. Paulo/ Veja

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *