Mito ou verdade: será que a lipoaspiração funciona realmente?

Ter a barriga e a cintura sem nenhuma gordura ou ‘pneuzinho” é o sonho de muitas pessoas. Mas para conseguir realizar este desejo é preciso passar por procedimentos que auxiliem a retirar o excesso de gordura no abdômen, entre eles a lipoaspiração.

A lipoaspiração é um tipo de procedimento estético feito para retirar gordura localizada de diversas regiões do corpo. É indicada quando não é possível eliminar excessos de gordura com atividades físicas e alimentação balanceada.

No entanto, é possível que muitas pessoas que realizaram a lipoaspiração vejam a gordura localizada voltar na região aspirada, mas afinal, por qual motivo isto acontece? Como ela é feita? Será que a lipoaspiração funciona?

Confira!

Como é feita a lipoaspiração?

Utilizando uma anestesia local, peridural ou geral, o cirurgião plástico delimita a região do corpo onde será retirada a gordura, fazendo pequenos buracos e inserindo um tubo (chamado de cânula) para aspirar a mesma.

A cirurgia dura, em média, de 30 minutos a 2 horas. Este tempo é variável, devido ao nível de gordura localizada e a quantidade que será aspirada, fator que depende do estado de saúde, peso e desejo do paciente. É importante ressaltar que existem limites seguros de gordura que podem ser retirados em um tempo cirúrgico, que serão explicados pelo cirurgião na consulta pré-operatória.

O período pós-operatório inclui a retirada dos pontos, repouso relativo, alimentação balanceada, uso de malhas compressivas quando indicado e, principalmente, muita hidratação, para ajudar na recuperação adequada. Como a lipoaspiração utiliza pequenas incisões, existe uma possibilidade de retorno às atividades normais em um tempo mais rápido do que em outras cirurgias. O inchaço cede, em grande parte, no primeiro mês de pós-operatório, porém é necessário aguardar pelo menos seis meses para o inchaço desaparecer por completo.

Os resultados da lipoaspiração

Os resultados definitivos da lipoaspiração só começam a aparecer depois de 6 meses, que é o período mínimo para o edema (inchaço) ceder completamente, permitindo a avaliação mais precisa dos resultados da cirurgia.

Além disto, há a questão da adaptação do organismo, ou seja do corpo sem a gordura localizada naquela região, fator que demanda um período de recuperação.

Sendo assim, é preciso ter um pouco de paciência para observar se os resultados da lipoaspiração foram os esperados. Recomenda-se nos primeiros meses:

– Seguir as recomendações do pós-operatório.
– Realizar acompanhamento médico, sobretudo se houver inchaço excessivo no local operado.
– Evitar expor a barriga ao sol.
– Realizar uma dieta, evitando alimentação gordurosa.
– Manter uma boa hidratação com líquidos leves (água, chá, sucos).

Afinal, lipoaspiração funciona?

Sim, funciona, porém, ela não emagrece. O objetivo da lipoaspiração é remover gordura localizada, e não perder peso. A perda ou ganho de peso se devem, principalmente, à perda ou ganho da gordura visceral (gordura que está entre os órgãos dentro do abdome), que não pode ser alterada por essa cirurgia.

Como toda cirurgia plástica, a lipoaspiração precisa de cuidados para que seus resultados sejam mantidos por mais tempo.

O que compromete os resultados de um procedimento e faz com que, muitas vezes, o corpo volte a ter uma aparência indesejada é a falta de cuidados regulares do paciente, sendo o principal o descuido com a alimentação e seu consequente “efeito sanfona”.

Mesmo após a lipoaspiração, sempre existe uma área de gordura que permanece na região lipoaspirada, pois nunca é possível nem desejável, do ponto de vista estético, remover totalmente a gordura de uma região do corpo. Assim, permanecem células de gordura (chamadas de adipócitos) nessa região. Essas células, apesar de não se multiplicarem em situações normais, tem uma grande capacidade de inchar (hipertrofiar) com acúmulo de gordura que elas próprias produzem. Por isso, caso a paciente ganhe peso após a lipoaspiração, essas células irão produzir e acumular gordura, acabando por ocupar o espaço da gordura que foi retirada durante a lipoaspiração. Com isso, poderá haver novo acúmulo de gordura na região que havia sido lipoaspirada, o que leva a uma perda de resultado da cirurgia. Mas essa perda de resultado é causada por aumento de peso e não pela cirurgia em si.

Portanto, o ideal é buscar manter uma alimentação balanceada, mesmo após a cirurgia plástica.

É importante evitar dietas “da moda” publicadas em revistas ou mídias sociais, porque a dieta precisa se adequar à necessidade de cada paciente, assim a melhor indicação é o auxílio de um nutricionista para evitar problemas futuros de saúde e, ao mesmo tempo, poder manter uma alimentação balanceada regularmente.

Siga a Motiva nas redes sociais e acompanhe as melhores notícias sobre cirurgia plástica!

Fontes: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica / Minha Vida

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *