Os principais tipos de cirurgia estética para a região dos olhos

No decorrer dos anos, é comum que nossa pele apresente sinais de envelhecimento na região dos olhos ou até mesmo anormalidades nas pálpebras e na cavidade dos olhos.

Estes tipos de problemas acontecem, muitas vezes, por hereditariedade, mas também são possíveis de ocorrer na medida em que se vive, fator que conhecemos como “envelhecimento natural do corpo”. Ao mesmo tempo, problemas de envelhecimento na região dos olhos são possíveis de ser tratados com um cirurgião plástico.

Hoje, contamos a você os principais tipos de cirurgias oculares para corrigir pálpebras e a estética dos olhos.

1. Bolsas palpebrais

Um dos principais problemas causados pelo envelhecimento e hereditariedade são as bolsas palpebrais – bolsas formadas por gordura que ficam aparentes nas pálpebras superiores e/ou inferiores.

Elas não costumam trazer problemas à vida do paciente, exceto na questão estética, gerando desconforto à vida social, assim é possível corrigir o problema com a blefaroplastia – cirurgia plástica específica para corrigir as bolsas palpebrais e a flacidez das pálpebras.

2. Pálpebras caídas, para fora ou para dentro

Outro problema que costuma incomodar são as pálpebras caídas, ou aquelas que ficam para fora (problema chamado de ectrópio, que pode causar desconforto e lacrimejamento nos olhos pela falta de contato protetor entre a pálpebra e o olho), ou ainda acabam virando para dentro dos olhos (condição denominada entrópio, que gera dores constantes e irritações devido ao contato dos cílios com o globo ocular).

É preciso diferenciar as pálpebras que estão com aparência caída apenas pela flacidez de pele decorrente do envelhecimento natural dos casos em que o paciente tem dificuldade de manter os olhos abertos por algum problema funcional das pálpebras. Nestes casos, as pálpebras não se mantêm corretamente abertas, podendo atrapalhar a visão. A esse quadro se dá o nome de ptose palpebral, que pode acometer um dos olhos ou os dois olhos.

Em casos nos quais existe apenas flacidez de pele, com ou sem a presença de bolsas palpebrais, a blefaroplastia convencional é indicada. Consiste na retirada do excesso de pele das pálpebras ao mesmo tempo em que são retiradas as bolsas de gordura palpebrais, que podem não estar presentes, ou acometer uma, duas ou todas as pálpebras do paciente. Cabe ressaltar que, nesta cirurgia, também são corrigidos os problemas de ectrópio e/ou entrópio, caso estejam presentes.

A blefaroplastia é uma cirurgia que pode ser realizada com anestesia local, anestesia local com sedação ou anestesia geral. Pode ser associada a outros procedimentos no rosto, como o lifting facial, ou realizada como procedimento único. As cicatrizes costumam evoluir bem e se tornam bastante discretas.

O pós-operatório da blefaroplastia requer um repouso relativo, e cuidados com a região dos olhos. O inchaço costuma ser importante na primeira semana, mas vai melhorando gradativamente após esse período. Para aliviar o desconforto gerado pelo inchaço, o paciente é instruído a realizar compressas frias sobre os olhos, e também a utilizar colírios e/ou pomadas oculares, dependendo de cada caso. Também é recomendada a proteção dos olhos contra o sol, principalmente enquanto houver áreas arroxeadas nas pálpebras, que costumam ceder nas primeiras duas a três semanas de pós-operatório.

Em casos nos quais existe a ptose palpebral, são necessárias cirurgias específicas para corrigir a queda anormal das pálpebras. A causa mais comum de queda de ptose palpebral é relacionada a problemas no músculo levantador da pálpebra, que é o principal responsável pela manutenção da abertura normal das pálpebras. Os casos de ptose palpebral são mais frequentes em pacientes idosos, devido ao esgarçamento ou rompimento do tendão (aponeurose) desse músculo que o conecta às pálpebras, porém esse problema pode ocorrer em pacientes de qualquer idade.

A cirurgia de correção desse tipo de ptose consiste em amarrar esse tendão de volta ao músculo caso ele esteja rompido, ou então encurtá-lo, caso ele esteja esgarçado. Essa cirurgia pode, em muitos casos, ser associada à blefaroplastia convencional, caso o paciente deseje correção estética das pálpebras juntamente com a correção da ptose palpebral. Os cuidados dessa cirurgia corretiva são semelhantes aos da blefaroplastia.

É fundamental conversar com o seu cirurgião sobre o tipo de cirurgia palpebral que você tem interesse ou necessidade em fazer, para que ele possa diagnosticar corretamente o seu caso e lhe indicar a cirurgia mais adequada.

Siga a Motiva nas redes sociais e acompanhe as melhores notícias sobre cirurgia plástica!

Fontes: Minha Vida / Gustavo Alvarez

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *