5 coisas que você deve saber sobre rinoplastia

A rinoplastia – cirurgia plástica para melhorar o formato e/ou a respiração do nariz – é uma das cirurgias plásticas mais buscadas pelos brasileiros. Os motivos da procura do procedimento podem ser inúmeros em nossa sociedade, podendo ir de problemas respiratórios, maior satisfação pessoal com a própria imagem, ou para sair bem na selfie.

Mas independente do motivo, se você está pensando em realizar uma cirurgia plástica no nariz, é importante ficar atento a alguns cuidados para buscar um profissional e um local adequado.

Então, confira 5 coisas que você deveria saber sobre rinoplastia:

1. A rinoplastia não é recomendada em qualquer idade

A rinoplastia não pode ser feita em qualquer idade. Conforme especialistas, a idade ideal para realizar a rinoplastia é aos 18 anos, devido à capacidade da cartilagem ainda estar em desenvolvimento.

Na verdade, tanto a orelha, como o nariz, não param de se desenvolver ao longo dos anos, porém é entre a infância e a adolescência que as porcentagens de desenvolvimento são maiores.

2. Também é possível realizar rinoplastia de aumento

Embora seja algo incomum, também é possível realizar rinoplastia de aumento, realizando enxertos de cartilagem ou próteses que aumentem o tamanho do nariz. Atualmente, existe a chamada rinoplastia não-cirúrgica, que consiste em injeções de ácido hialurônico em áreas do nariz a fim de corrigir as imperfeições externas. Porém, os resultados são menos duradouros, já que o ácido hialurônico é reabsorvido pelo organismo após alguns meses, necessitando reaplicação. Essa modalidade de tratamento tem fins apenas estéticos, não tratando deformidades dos tecidos e ossos do nariz, nem modificando a parte da respiração.

Comumente, a rinoplastia costuma ser procurada por pessoas que buscam diminuir o nariz ou para corrigir problemas nasais, como desvio de septo – procedimento mais conhecido como Rinosseptoplastia.

3. As principais técnicas são a aberta e fechada

As principais abordagens para corrigir o nariz são a aberta e fechada. A técnica aberta, consiste em uma incisão dentro do nariz e na columela nasal – a “coluna” do nariz que divide as narinas em duas – resultando em uma pequena cicatriz entre as narinas que costuma evoluir bem e ficar discreta. Já a técnica fechada consiste em incisões feitas na parte interna das narinas. Na rinoplastia fechada, não existem incisões externas, então não existe cicatriz aparente no nariz.

Para descobrir a opção ideal, é necessário realizar uma conversa com o cirurgião plástico, após os exames específicos – sangue, urina, avaliação cardiológica, tomografia computadorizada da estrutura nasal, podendo ainda ser necessário outros exames específicos em cirurgias funcionais.

4. Rinoplastia não é só estética

Além de melhorar a aparência, a rinoplastia também permite que o paciente respire melhor. Devido a isto, atualmente, o cirurgião plástico se preocupa com as funções anatômicas e respiratórias do nariz em conjunto com a estética, para chegar a um resultado harmonioso e auxiliar a manter a saúde do paciente.

5. Resultado final demora a aparecer

A rinoplastia é um procedimento que pode ser relativamente rápido em muitos casos, podendo chegar a apenas meia hora de cirurgia em casos de menor complexidade. Entretanto, essa não é uma regra. Como há uma variedade de problemas a serem tratados em diversos pacientes, a rinoplastia frequentemente pode se estender por quatro horas ou mais, dependendo das necessidades de cada caso, do tipo de procedimento realizado (rinoplastia aberta ou fechada), da necessidade de colocação de enxertos no nariz, se é uma rinoplastia de primeira vez (primária) ou de segunda, terceira vez etc. A eventual necessidade de tratamento do septo nasal, que pode ser realizada tanto pelo cirurgião plástico quanto em conjunto com otorrinolaringologista, também acrescenta maior tempo cirúrgico. Pode ser feita com anestesia local associada a sedação, embora, atualmente, a anestesia empregada com maior frequência seja a anestesia geral, que aumenta o conforto do paciente e permite um número maior de procedimentos. O paciente pode, em alguns casos, ser liberado para casa no mesmo dia da cirurgia, mas, em muitos casos, é necessário permanecer um dia internado no hospital.

O período pós-operatório exige atenção à região do nariz. Na maioria dos casos, o paciente sai da cirurgia com um curativo rígido que cobre o nariz (para proteger os ossos do nariz operados), e com tampões dentro das narinas para estancar eventuais sangramentos. Os tampões geralmente são removidos antes da alta, caso o paciente permaneça internado por um dia, ou retirados na primeira consulta de retorno, caso o paciente seja liberado no mesmo dia do procedimento. Em qualquer caso, o paciente é orientado a não molhar o nariz por alguns dias após a cirurgia, para não estragar os curativos que cobrem o nariz, e também é orientado a lavar as narinas com soro, para remover coágulos e facilitar a respiração. A exposição ao sol deve ser evitada até as áreas arroxeadas (que podem ficar restritas ao nariz, ou se estender pelas pálpebras inferiores, em casos de modificações nos ossos do nariz) desaparecerem.

O paciente que se submete à rinoplastia tem que estar bem orientado quanto à demora no aparecimento do resultado definitivo, que ocorre em torno de seis meses após a cirurgia (tempo necessário para desinchar totalmente o nariz). Qualquer avaliação de resultado antes desse período será prematura, então é necessário paciência para aguardar o resultado que, à primeira vista, frequentemente não satisfaz o paciente, pois o nariz estará deformado pelo inchaço.

Siga a Motiva nas redes sociais e acompanhe as melhores notícias sobre cirurgia plástica!

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *